Manifesto Hacker

De Área31 Hackerspace
Revisão de 01h47min de 24 de dezembro de 2018 por Coffnix (discussão | contribs)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)

O Manifesto Hacker (também conhecido como The Hacker Manifesto, oficialmente com o nome e "The Conscience of a Hacker") é um pequeno ensaio, escrito em 8 de janeiro de 1986 por um hacker com o pseudónimo de "The Mentor" (nascido Loyd Blankenship). Ele foi escrito após a detenção do autor, e publicado pela primeira vez no underground ezine hacker Phrack.

É considerada uma pedra angular da cultura hacker, e dá alguns esclarecimentos sobre a psicologia de início dos hackers. É dito que isso moldou a opinião da comunidade hacker sobre si mesma e sua motivação. O Manifesto afirma que os "hackers" optam por hackear, porque é uma maneira pela qual eles aprendem, e porque muitas vezes são frustrados e entediados pelas limitações das normas da sociedade. Também expressa o Satori de um hacker percebendo seu potencial no domínio dos computadores.

O Manifesto age como um guia para hackers do mundo, especialmente os novos no campo. Ele serve como um fundamento ético à pirataria, e afirma que há um ponto que a pirataria substitui desejos egoístas para explorar ou prejudicar outras pessoas, e que a tecnologia deve ser usada para expandir nossos horizontes e tentar manter o mundo livre.

O artigo é citado no filme Hackers 1995, embora no filme ele está sendo lido na revista Hacker 2600, não o historicamente correto Phrack. Mentor recebe a atribuição de créditos do filme. O mesmo também é reproduzido no interior da caixa do CD do jogo Uplink.

"O Manifesto Hacker" é também o nome de um livro escrito pelo professor de estudos mídia McKenzie Wark.

O Mentor deu uma leitura de O Manifesto Hacker e esclarecimento adicional oferecido pelo H2K2.


Fonte:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Manifesto_Hacker